Mudar

Tu deves agir perante a mudança, abraçar outras oportunidades e confiar. O medo do desconhecido tem a capacidade de te manter no mesmo sítio, inerte. Porque a mudança obriga-te a sair, sempre, da tua zona de conforto… tu evita-la. Desenvolves caminhos alternativos, não menos desafiantes, para sentires que estás a fazer o que é certo ou o que é mais confortável? Sente o teu corpo e tem consciência do que sentes. Quando surge o medo de dar o primeiro passo no sentido de mudar, deves enfrentar-lo corajosamente com um sentimento de esperança. Confia em ti! Vives num Universo de polaridade, em que a frequência de uma emoção contém a sua frequência oposta. Aprenderes a mudar a tua frequência no momento dos desafios, vai ajudar-te a moveres-te pela vida suavemente. Não cries resistência à mudança. Não cries resistência ao fluxo da vida porque nada é permanente. Nada permanece igual e tudo muda, tudo se transforma. Consegues aceitar que tu mudas e te transformas? Há conforto e um falso sentimento de segurança no que já conheces. Mas, melhor que isso também há êxtase e um verdadeiro sentimento de liberdade no desconhecido. Porque és parte ínfima da Fonte de Tudo o que É, numa experiência de descoberta de si mesma. Se há momentos em que deves confiar, são aqueles momentos de “nó no estômago”, são os momentos em que te ligas ao desafio e o reconheces. Se há momentos em que deves confiar, são aqueles momentos em que o teu corpo se estremece e a voz te falha, olhas a provação olhos nos olhos. Se há momentos em que deves confiar, são aqueles em que nem a voz dos teus guias ouves. Há um perpetuo silêncio que grita por uma decisão tua. Se há momentos em que deves confiar em ti e aceitar a mudança, este é um desses momentos!